É possível perdoar uma traição?

Categoria dos serviços dos psicólogos: terapia de casal, relacionamentos, casamento, conjugal
Seria possível perdoar uma traição

Perdoar uma traição ou não, essa é uma dúvida que está na mente das pessoas. Mas será que é possível, verdadeiramente, dar essa passo? Leia o texto e veja mais.

A traição é provavelmente uma das dores mais devastadoras que uma pessoa pode sentir. Ela pode ser, inclusive, o gatilho para o surgimento de transtornos psicológicos graves. Você teve a sua confiança violada. E será que é possível perdoar uma traição?

Na verdade, o perdão não deve ser confundido com ficar indiferente ao que aconteceu ou ainda aceitar a pessoa de volta. O perdão deve ser encarado como se libertar da mágoa para ter uma vida leve e plena. Com o perdão você pode, verdadeiramente, seguir em frente. Com a pessoa ou sem ela.

Gostaria de saber sobre como perdoar uma traição? Então leia o artigo.

O processo do pesar

A traição é uma perda. E assim como o luto, há um processo psicológico de pesar que todos precisamos passar para seguir em frente e perdoar a traição. Conheça mais sobre esse processo logo abaixo.

>>> Veja também: Fases do luto e como superá-lo

1) Negação/choque

O primeiro estágio de choque ou negação é quando você é confrontado inicialmente com a traição. Você pode sentir-se entorpecido ou sentir que alguém acabou de lhe dar um soco no estômago. Pode até mesmo não acreditar na traição e ignorar a existência dela.

2) Raiva

Está a procura de psicólogo em São Paulo para questões de relacionamentos ou terapia de casal? Conheça os nossos psicólogos, veja o valor das consultas e agende sua consulta diretamente pelo nosso site.

Uma vez que a traição e a perda sejam plenamente reconhecidas, o indivíduo provavelmente sentirá raiva intensa. Este é um estágio muito delicado porque é quando muitas coisas podem dar errado no processo.

Primeiramente, é fundamental reconhecer que é normal sentir raiva, mas ela precisa ser controlada. Principalmente para não se machucar mais ou machucar outras pessoas. É bom procurar maneiras saudáveis de desabafar a raiva, seja conversando com pessoas queridas, escrevendo em diários, praticando uma atividade física ou buscando o auxílio de um terapeuta.

>>> Veja também: 7 dicas para controlar a raiva

3) Tristeza

A tristeza é o próximo estágio a trabalhar com a raiva; você deve começar a chegar a um ponto de tristeza. A tristeza é sentida quando você começa a reconhecer toda a extensão da perda. Começa a sentir falta das coisas boas do relacionamento. Você pensa na traição e sabe que nunca pode obter total confiança de volta.

4) Aceitação

O processo de luto é um processo de cura. Foi construído em nossas mentes para nos ajudar a lidar com as inúmeras perdas que experimentamos na vida. Se confiarmos no processo completamente, nos curaremos. Confiar no processo significa permitir que os sentimentos sejam o que são, sejam eles quais forem. Os sentimentos nunca são errados ou ruins. O que fazemos por causa de sentimentos pode ser errado ou ruim, mas isso é uma escolha.

Os sentimentos em si não são ruins. Portanto, eles não vão nos machucar. Eles nos ajudam na cura. Se você confiar nesse processo de cura, você finalmente chegará a um ponto de aceitação. E aí sim é possível perdoar uma traição. Quando chegamos nesse ponto, estamos prontos para dar o próximo passo, que falaremos a seguir.

Como perdoar uma traição?

Em primeiro lugar, vamos ressaltar algo que foi dito ao longo do texto: perdoar uma traição não significa aceitar a pessoa de volta. Ou ser indiferente ao que ela fez. Perdoar é aceitar que todos somos humanos, é aceitar a própria vulnerabilidade e saber que temos capacidade para aprender e nos tornarmos mais fortes. É saber que todos também podemos errar e que um ato ruim não é sua culpa. O outro tem seus problemas e fraquezas, assim como nós.

>>> Veja também: O medo de perder que se torna irracional e anula nossa vida

Perdoar uma traição é conseguir verdadeiramente ir em frente. É poder começar um novo relacionamento sem ter esse pesar no coração, sem ter desconfiança excessiva sem se prejudicar. É ter confiança em si mesmo e poder tomar a decisão que te faz mais feliz.

Agora vamos a um ponto muito importante. Devemos ou não aceitar a pessoa de volta? Será que podemos voltar a confiar em quem nos traiu? A resposta para isso é: depende. Depende do que você decidir após passar por todos os estágios do pesar. E não se sinta mal de escolher.

Mas se ainda está confuso veja algumas dicas que podem lhe ajudar a ponderar essa decisão.

1) A traição é um comportamento contínuo ou a pessoa reconhece a dor que causou e está tentando mudar o comportamento?

2) Além disso, o indivíduo quer perdão? Para querer o perdão, a pessoa tem que ver o comportamento como errado, por exemplo.

>>> Veja também: Qual é a função das emoções?

3) A transgressão foi provocada por raiva justificada e a pessoa se arrependeu de ter agido tão precipitadamente? Ela aprendeu com esse comportamento e provavelmente não fará isso novamente?

4) Há quanto tempo você conhece a pessoa? Ela já traiu outros companheiros/companheiras?

5) Você conversou com a pessoa e ela aceitou a responsabilidade do ato?

6) O que faz esse relacionamento valer o perdão?

Você precisa perdoar uma traição para seguir em frente sem amargura. Ou ainda pior, pode desenvolver um problema psicológico e físico. No entanto, isso não significa que você tenha que continuar o relacionamento. O mais importante é a sua felicidade, sempre tenha isso como peso máximo na balança.

Gostou desse artigo? Pode se interessar por esse também: Autoaceitação e autoestima: entenda a diferença

Quem leu esse texto também se interessou por:

Autor: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.