6 dicas para ter mais assertividade em sua vida

Categoria dos serviços dos psicólogos: terapia cognitivo comportamental
Assertividade

Mais assertividade significa buscar novas formas de convívio e qualidade de vida. Leia nosso texto e veja como desenvolver essa habilidade.

Nem sempre nosso humor favorece o nosso dia a dia e nos proporciona boas relações, bons momento e atitudes positivas. E diante disso, muitas pessoas buscam mais assertividade para lidarem de forma construtiva com os conflitos e situações do dia a dia. Os psicólogos afirmam que é possível conquistar essa habilidade e que ela pode ser um ingrediente importante do nosso bem-estar.

Por que mais assertividade é um bom caminho?

Para começar, a assertividade é um tipo de habilidade que tem relação com o outro, conforme afirmam os psicólogos. Ela está vinculada à maneira como lidamos com situações boas e ruins. Aquela máxima de que a “assertividade não se conquista, se tem”, não é verdade. Empáticos, todo nós podemos ser. E também é possível conquistar mais assertividade. E assim podemos melhorar dia após dia a maneira como nos relacionamos com o outro.

Está a procura de psicólogo em São Paulo para atendimento de terapia cognitivo comportamental? Conheça os nossos psicólogos, veja o valor das consultas e agende sua consulta diretamente pelo nosso site.

Uma das primeiras coisas que se observa em uma pessoa assertiva é a sua grande capacidade de prestar atenção às pessoas, analisar como elas reagem, se expressam e lidam com seus problemas. Uma pessoa assertiva, desde cedo, terá mais chances de trabalhar os seus próprios conflitos internos se conseguir entender como funcionam as suas emoções e pensamentos.

Assim, ter mais assertividade na vida é a condição para lidarmos muito melhor com os confrontos, sem ansiedade e estresse, tornando-nos cada vez mais autoconfiantes e principalmente com maior credibilidade.

Elas parecem sempre estar de bem com tudo, não é mesmo? Qual é o segredo disso? Será que elas não ficam tristes, ou possuem crises de ansiedade? Veremos 6 dicas dos psicólogos para se ter mais assertividade na vida, de forma que possamos melhorar as nossas interações.

6 dicas valiosas para ter mais assertividade na vida

Já dissemos que pessoas que tem mais assertividade se relacionam melhor, consigo mesmas e com as demais. Sabe aquele típico “jogo de cintura”, “estilo diplomático” ou “saída elegante”? Isso é uma característica comum a pessoas assertivas. Em um mundo cada vez mais marcado pela intolerância, pressa, cobranças, falta de respeito, empatia, franqueza e honestidade, trabalhar a assertividade é uma atividade que acabamos relegando para segundo plano. Mas ela é quem fornecerá a inteligência emocional para lidar com situações difíceis.

Mas vamos às dicas!

1. Empatia

Ter empatia pelo outro o fará ter mais assertividade em seus diálogos e conversas. Toda linguagem corporal deve ser compreendida e se nos colocamos no lugar da outra pessoa que fala, mesmo que seja por alguns poucos minutos, teremos a chance de conseguir mais assertividade naquele momento. A empatia está relacionada em estar “junto” com a pessoa, mesmo talvez discordando internamente de algum aspecto seu. Significa que a nossa calma em compreender surtirá efeito imediato sobre a outra pessoa.

2. Objetividade

Não se alongue demais nas conversas. Seja direto e evite ser prolixo. Quanto mais objetivo for, melhor será para quem estará ouvindo. A objetividade conduz aos fatos mais diretamente. Pessoas diretas não parecem agressivas nem grosseiras, mas autênticas e honestas. Essa habilidade de dizer a coisa certa no momento certo se adquire com um pouco de prática.

3. Honestidade sem ofender

Nem todas as pessoas pensam iguais. Como conversar com alguém evitando a discussão? Por certo, nada do que a outra pessoa diz pode nos agradar, e de fato, não nos convencerá. A questão não é o assunto em si, mas como lidamos com ele. Essa é a chave! A forma como reagimos com agressão verbal ou emocional, faz com que nos bloqueamos. Você pode tranquilamente defender os seus argumentos sem precisar alterar a voz ou gesticular de forma agressiva.

4. Orientação

Uma das coisas mais importantes para ter mais assertividade é perceber o momento das coisas e das situações. Sempre realize os feedbacks necessários em todo momento, ou seja, responda quando lhe é chamado ou quando lhe é de interesse participar, sem parecer arrogante ou que está a par de tudo.

A humildade e a vontade de ajudar são excelentes formas de demonstrar empatia. Mais importante: cobre um feedback de si mesmo. Veja o que as outras pessoas têm a dizer de você mesmo e ouça com atenção, sem desdém.

5. Ser você mesmo

Ser simpático não é ser assertivo. São coisas diferentes. Uma pessoa pode ser simpática, mas, no fundo, ter pensamentos negativos em relação às pessoas e a si mesma. A autenticidade torna você único no mundo, pois são as suas qualidades inerentes que fazem toda a diferença em cada momento.

Se conseguir acrescentar estas dicas junto à autenticidade, ou seja, sem demonstrar ser “falso” ou “forçado”, verá que conseguirá ter mais assertividade do que o esperado!

6. Não manipule

Por último: não use essas técnicas para conseguir o que quer, isto é desleal. Se você precisa alcançar um degrau, se esforce e conquiste-o, e verá que o trabalho valeu a pena. Tentar criar estratégias e atalhos não são interessantes para o pensamento assertivo, pois conduz ao erro e ao hábito prejudicial.

A assertividade faz com que tenhamos maior autocontrole sobre nós mesmos e passemos a nos autoconhecer, o que é fantástico. Podemos nos defender sem que nos defendam e sem necessidade de ser agressivos.

Podemos criticar sem ofender, e receber críticas sem nos abalar. É impossível? Claro que não! Basta tentar! Tentar ser mais assertivo na vida é melhorar com certeza a nossa qualidade de vida, o nosso comportamento frente ao mundo, tornando-nos pessoas melhores.

Procurando por mais assertividade na sua vida? Então consulte nossos textos e aprenda não só sobre assertividade, mas também obtenha dicas para ter uma vida melhor.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.