Como lidar com a rejeição dos filhos

Categoria dos serviços dos psicólogos: terapia cognitivo comportamental
Como lidar com a rejeição dos filhos

A rejeição dos filhos pode ser muito dolorosa. Mas será que é possível amenizá-la? Leia o texto e receba algumas dicas.

Quando um adulto passa a sentir a rejeição dos filhos pode ser muito doloroso. Mas a rejeição em si não significa que os filhos não se importam com os pais e sim o indício de que certas situações não correram bem. Assim, é importante entender o porquê da rejeição dos filhos antes de tomar qualquer atitude, aconselham os psicólogos.

Toda rejeição dói. Mas é impossível evitá-la completamente. Na verdade, os adultos que sofrem com a rejeição dos filhos não devem ter medo disso.

Por exemplo, em situações complexas como no processo de divórcio, os filhos ficam ao lado de um dos pais, tornando transparente o seu desinteresse.

Quando isso ocorre, mesmo que não demonstre uma causa lógica, os filhos podem também ser vítimas de diversas situações como a síndrome de alienação parental, abusos, problemas ocasionados por divórcio, entre outras. Indicaremos a seguir, dicas para a grande pergunta: “Os meus filhos não querem me ver, o que devo fazer?”.

>>> Veja também: Sintomas de síndrome de ninho vazio.

Como lidar com a rejeição dos filhos

Toda ação tem uma causa. Por esta razão, sempre é desaconselhável que as atitudes constantes de reprovação de um dos pais sejam feitas na frente dos filhos.

Comportamentos geram influências subjetivas. Assim, há diversos processos e detalhes em que a síndrome da alienação parental ocorre. Mas também existem outras causas da rejeição dos filhos. Há situações em que os filhos tendem a proteger um dos pais, exibindo um distanciamento maior em relação ao outro.

Por outro lado, também pode acontecer de um filho se sentir mais identificado ou próximo com o lugar onde nasceu e se criou, o ambiente das amizades, o núcleo familiar mais próximo, o carinho mais seguro de um dos pais etc. Tudo isso deve ser considerado. Portanto, é aconselhável ter paciência para compreender os próprios anseios e respeitar os ritmos dos filhos.

Na adolescência, os filhos podem até parar de conversar com seus pais, na tentativa de desafiar a sua autoridade. Eles têm a necessidade de romper os seus próprios limites, de impor suas próprias regras etc.

Se você sofre com a rejeição dos filhos, poderá amenizar a situação. Confira algumas dicas para ajudá-lo.

1. Encontre a causa

Está a procura de psicólogo em São Paulo para atendimento de terapia cognitivo comportamental? Conheça os nossos psicólogos, veja o valor das consultas e agende sua consulta diretamente pelo nosso site.

Em primeiro lugar, é muito importante identificar a causa da rejeição. Quando ela é conhecida, a solução pode ser mais facilmente encontrada. Mas, de qualquer forma, é muito importante que se busque a colaboração entre os pais, de forma que se atue em conjunto. Neste sentido, também será necessária a ajuda de um psicólogo, para facilitar o diálogo.

2. Exercite o debate, não a obrigação

Se os filhos já são mais crescidos e eles decidiram se distanciar de você, tente conversar abertamente com eles, mostrando o seu interesse em resolver o problema. Sempre demonstre que você está disponível para o diálogo franco e aberto. Faça com que ele saiba que você o apoia de forma incondicional. Tenha autoconfiança e jamais feche as portas da reconciliação.

3. Seja sincero

Busque sempre ser sincero. Inicie por seus próprios sentimentos. Se você se sente rejeitado, reconheça isso para si. Evite ignorar ou fingir que não faz mal. Veja como seus sentimentos reagem à rejeição dos filhos. Encontre formas de desabafar com alguém.

4. Seja assertivo

Comece a reavaliar a frequência de pensamentos negativos acerca da situação. Para começar a lidar com a rejeição, busque não ver os problemas como insolúveis. Para superar a rejeição dos filhos evite falar ou pensar sobre isso durante todo o dia. Os pensamentos negativos ajudam a influenciar as ações. Os comportamentos negativos podem até provocar mais rejeição.

Evite a culpa e foque no pensamento assertivo. Tais pensamentos obsessivos o impedem de ter esperança e acreditar em si mesmos.

Saiba que quanto melhor você aprende a lidar com a rejeição dos filhos, menos o afetará, ajudando a desenvolver a sua capacidade de lidar com os problemas.

Às vezes, a própria rejeição pode ser um banho de realidade. Não hesite em consultar um psicólogo de terapia de família, que poderá analisar a situação de maneira personalizada,

Se você gostou deste texto sobre rejeição dos filhos, irá se interessar em ler mais artigos semelhantes sobre terapias familiares!

Quem leu esse texto também se interessou por:

Autor: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.