Newsletter Gratuita
Assine Aqui

O poder do ego: por que ele é importante e como controlá-lo

Categoria dos serviços dos psicólogos: terapia cognitivo comportamental
O poder do ego e porque ele é importante

O ego é uma parte fundamental da nossa psique. Vilão para uns, mocinho para outros, o ego é muito comentado e difundido. Mas você sabe o que ele é e qual é o papel dele em nossa vida?

O ego, para a psicologia, faz parte de todo ser humano. Isto significa que ninguém pode ficar sem ele ou simplesmente eliminá-lo. No entanto, nos últimos tempos o ego tornou-se um vilão. Passou a ser visto como algo ruim ou negativo, sinônimo de presunção e vaidade.

Mas será que ele é tão ruim assim? Muito discutido e difundido no mundo da psicologia e psicanálise, o ego é o núcleo da nossa personalidade. Responsável tanto por nossos instintos de sobrevivência quanto pela nossa ideia de estarmos sempre certos.

Para compreender a natureza do ego, antes é importante saber por que se habituou a chamá-lo de nocivo.

O que é o ego, afinal?

Na psicologia o conceito de ego faz referência ao centro da pessoa, isso é, o “eu”. O conceito de ego, id, superego e alterego foram criados por Freud para explicar o funcionamento da mente humana.

Assim, o ego é a parte consciente, responsável por interpretar a realidade, memória, emoções e percepção – relação do indivíduo com o meio – e mediador ente o Id e o superego.

O ego, como afirmam os psicólogos, faz parte da natureza do ser humano. Ele alimenta os nossos pensamentos e emoções, com base nos impulsos dos sentidos que moldam as nossas posições e convicções próprias.

Irredutível, o ego é basicamente a nossa personalidade. É ele quem julga as pessoas ao nosso redor conforme nossos interesses e experiências pessoais. Ele é aquela voz interna que indica o que é bom e o que é ruim. É também responsável por preconceitos e aceitações.

Portanto, o termo “ego” veio das áreas da psicologia e da psicanálise, usado especificamente para explicar como funciona a mente em suas formas de impulsividade e controle e consciência e inconsciência humana.

Como lidar com o ego? Como podemos identificá-lo? Do que ele é feito?

Valor Consulta Psicóloga Cláudia






Não quero informar nome ou e-mail





Essas e outras perguntas, buscamos responder tomando por base o efeito que ele tem no nosso dia-a-dia e em nossas vidas.

Para a psicologia, o ego, além de fazer parte da personalidade humana, ele está mais relacionado ao caráter, ou seja, à forma como a pessoa se comporta e pensa.

Como uma característica psíquica do ser humano, ele incorpora a maioria das experiências que a pessoa teve contato. Ele é responsável por formar as suas crenças, ideias, valores e tomada de decisões.

Por isto, é pelo ego que ocorrem as nossas reações involuntárias e espontâneas conforme vamos conhecendo e experimentando o mundo ao redor.

Como identificar o ego?

Toda vez que você age ou pensa que é melhor que o outro, está sob efeito do ego. Essa certeza de estarmos ao lado da verdade é dada por ele. E haja equívocos por causa disso.

A arrogância que percebemos no outro, é ele, reclamando por estar sendo contrariado. Nossa individualidade não é passível de contrapontos.

E por isso nos identificamos ou não com as pessoas, e, claro, temos mais afinidade e harmonia com aquelas que compartilham nossa perspectiva de vida.

Como lidar com nossa individualidade?

Aceitar e observar o modo como nos comportamos e nossos padrões de comportamento é necessário para se conhecer mais e aprender a lidar com nossa individualidade, sem ferir os outros com nossa personalidade. A individualidade do ser deve ser moldada para que nossa personalidade não nos traga prejuízos, nem prejudiquem os demais.

Como controlar os impulsos provocados pelo ego?

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Somente com autoconhecimento podemos nos corrigir e controlar o ego exacerbado. Quando nos damos conta que nosso comportamento está nos prejudicando ou ainda nos fazendo perder pessoas e oportunidades, é preciso refletir sobre o que está acarretando e provocando isso em nossas vidas.

Muitas pessoas precisam de terapia para facilitar esse processo. Com o apoio de um psicólogo ou terapeuta, esse processo não será menos penoso, mas ao menos será guiado e acompanhado.

As nuances do visceral e da nossa racionalidade

O impulso visceral vem do ego. É ele que alimenta nosso instinto de sobrevivência. Ao se impor e tentar se defender, é ele que entrará em ação. Para nos salvar da vergonha, do bullying, de exposições, será ele quem irá entrar em ação e irá ativar todo nosso mecanismo de defesa.

Logo, isso pode ser uma arma importante, quando usada com distanciamento e racionalidade, ou apenas irá ferir e nos prejudicar, se o deixarmos agir simplesmente por impulso.

O que é o ego - Psicologia

Como controlar o ego?

Não é fácil lidar com o ego, nem encontrar a medida certa dele. Somente com muito autoconhecimento podemos ser capazes disso. Ele normalmente está mascarado por opiniões e posturas falsas. É mais fácil identificá-lo quando ele se manifesta de forma emocional. Ser aceito, buscar aprovação, sentimentos de inveja, raiva, são manifestações claras do ego e fazem parte de um conjunto de crenças do “deve ser”.

Ao identificar essas crenças e o quanto você se sente atingido quando esbarramos nelas, é possível se observar e entender porque aquilo causa tanta dor. Muitas vezes esse processo é muito dolorido e pode desencadear sentimentos e transtornos quando não moderado.

Por isso o acompanhamento de um profissional da área da psicologia é uma opção viável. Saiba o que um psicólogo faz e como ele pode ajudar. Caso você perceba que não consegue lidar sozinho com isso, busque apoio psicológico.

Qual a importância do ego para a nossa vida

Psicólogos

Conheça os psicólogos e psicólogas do consultório. Veja o perfil detalhado de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Quando crianças e jovens, os pais e a educação em sociedade costumam ensinar conceitos que passam a ressoar como princípios, tal como a modéstia e humildade. O “ser modesto” é o mesmo que ser contrário a uma pessoa “egoísta”. E muitas pessoas confundem egoísmo com ego, porém, são coisas totalmente distintas.

Controlar o ego no dia a dia é muito importante. Para adquirir o autocontrole sobre ele é necessário fazer uma reflexão sobre si mesmo. Com a observação atenta do fluxo dos pensamentos, pode-se entender quais são os que nos prejudicam e quais são benéficos.

O ego nos leva a nos comportarmos de forma instintiva. E isso, muitas vezes, sem tomar as devidas precauções ou medir as consequências das ações.

É aqui onde entra a psicologia para explicar como agem os aspectos da consciência/inconsciência. Como elas impactam na maneira como lidamos com as demais pessoas. Assim, seu caráter e personalidade podem ser estabelecidos dentro de um contexto social.

A importância de controlar o ego

Como produto de parcelas estereotipadas, da pressão do ambiente social, o ego pode tanto ser benéfico para a pessoa quanto prejudicá-la. Em muitas oportunidades, ele nos faz ocultar o nosso verdadeiro eu.

Por isso, ele passa a refletir algumas facetas da sua natureza íntima que podem não ser reais. E isso leva a pessoa à confusão quanto a sua própria identidade.

Ele tem a ver com os processos particulares e com a tendência que cada pessoa tem ao tentar buscar as suas próprias respostas. É normal que muitas das ideias e valores sejam adquiridos de outras pessoas, não necessariamente pertencem ao seu universo próprio.

Entre as dicas simples para controlar o papel do ego e possibilitar uma forma benéfica de lidar com ele, estão:

Como Escolher meu Psicólogo?

Confira no nosso guia completo sobre psicólogo e psicoterapia. Nele você encontrará dicas do que considerar na escolha do seu psicólogo.

COMO ESCOLHER MEU PSICÓLOGO
  • Faça uma lista de todos os pensamentos repetitivos, dos mais presentes aos mais genéricos, como um mapa de pensamentos;
  • Observe qual padrão de conduta significa maior resistência, se, por exemplo, sentimentos de raiva, medo, ansiedade, contrariedade, etc;
  • Pratique exercícios de concentração que possam transmutar estas ideias negativas em positivas.

O medo impede que você possa superar a si mesmo, portanto, não deixe de praticar a autoconfiança, não se permitindo deixar se ofender por qualquer situação. Equilibrar a autoconfiança e o autoconhecimento com certeza é o melhor remédio para mantê-lo sob controle e exercer seu domínio de forma tranquila e eficaz.

Confiando na sua consciência, busque também a ajuda profissional de psicólogos que estão sempre abertos a trabalhar para ajudar as pessoas com transtornos e problemas emocionais.

Se interessou pelo texto sobre o poder do ego? Então pode se interessar por esse também: Respeitar seus sentimentos: porque é tão essencial para a vida.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autora
Thaiana F. Brotto

CRP 106524/06

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.