Principais sintomas de colapso mental

Categoria dos serviços dos psicólogos: variados de cllíica de psicologia
Principais sintomas de colapso mental

Você não consegue trabalhar, tem tido explosões violentas ou se isolado? Talvez esteja a beira de um colapso mental. Leia o texto e saiba mais.

Embora o “colapso mental” não seja mais considerado um transtorno psicológico, sendo inclusive um termo não-médico, ele é considerado um momento em que ocorrem sintomas intensos de estresse e incapacidade de lidar com os desafios da vida. Apesar de não ser necessariamente uma doença, ele pode ser sintoma de algum transtorno grave ainda não diagnosticado.

Não há um acordo entre os psicólogos sobre a definição para o que constitui um colapso nervoso. É geralmente visto como um período em que o estresse físico e emocional se tornam intoleráveis. Ficamos temporariamente incapazes de nos controlar, colocando em risco nossa integridade física, inclusive.

Está a procura de psicólogo em São Paulo para serviços de clínica de psicologia? Conheça os nossos psicólogos, veja o valor das consultas e agende sua consulta diretamente pelo nosso site.

O colapso mental pode durar algumas horas ou ainda dias, impedindo o indivíduo de exercer sua rotina. A pessoa pode não conseguir trabalhar, descuidar da higiene, estar em tristeza profunda etc., por dias. Mas, atenção!, um colapso mental não é a mesma coisa que um ataque de pânico ou ainda um surto psicótico.

>>> Veja também: Pânico, medo e fobia

Quais são os sintomas de um colapso mental?

Os sintomas de um colapso mental podem ser físicos, psicológicos e comportamentais e eles variam de pessoa para pessoa. A causa subjacente também pode afetar os sintomas que você enfrenta.

Os sinais mais comuns de um colapso mental são:

    • Sintomas depressivos, como perda de esperança e pensamentos de suicídio ou autoagressão;
    • Ansiedade, pressão alta, músculos tensos, mãos úmidas, tontura, enjoo, dor de estômago e tremores;
    • Insônia ou outros distúrbios do sono;
    • Alucinações;
    • Humor extremo ou explosões inexplicáveis;
    • Ataques de pânico, que incluem dor no peito, distanciamento da realidade, medo extremo e dificuldade em respirar;
    • Paranoia, como acreditar, por exemplo que alguém está te observando ou perseguindo você;
    • Flashbacks de um evento traumático, que pode sugerir transtorno de estresse pós-traumático não diagnosticado (TEPT).

    As pessoas que sofrem um colapso nervoso também podem se afastar da família, amigos e colegas de trabalho. Estes sinais de isolamento podem ser percebidos com as seguintes atitudes:

    • Evitar compromissos e eventos sociais;
    • Comer e dormir mal;
    • Cuidados precários com a higiene;
    • Começar a chegar atrasado, ou ainda falta ao trabalho;
    • Isolar-se em sua casa.

    Fatores de risco que podem levar a um colapso mental

    Uma pessoa pode ter um colapso nervoso quando o estresse é demais para ela suportar. Esse estresse pode ser causado por influências externas. Conhecendo os fatores de risco é possível evitar situações ou ainda tomar cuidado em melhor gerenciá-las a fim de evitar uma situação de colapso. Confira algumas das principais causas:

    • Ambiente de trabalho insalubre com situações de estresse alta e uma carga de trabalho excessiva;
    • Evento traumático recente, como uma morte na família;
    • Sérios problemas financeiros e dívidas altas;
    • Uma grande mudança de vida, como um divórcio;
    • Falta de sono ou ainda de descanso e atividades prazerosas;
    • História pessoal de transtornos de ansiedade
    • Traumas familiares, transtornos psicológicos como depressão e ansiedade;
    • Doenças crônicas, lesões graves, permanentes ou não.

    Como lidar com seus sintomas e causas

    Nem todas as situações são possíveis de evitar. Por exemplo, se a causa do colapso mental é uma morte na família, não é possível evitar essa situação. Mas pode-se aprender a lidar com os sintomas que esse trauma provoca. Você pode sair do ciclo de sofrimento psicológico ou comportamental com as seguintes estratégias:

    • Ingressando na terapia. A terapia comportamental cognitiva (TCC) ou a psicanálise irão ajudá-lo a lidar não apenas com a situação de estresse como a resolver problemas ainda mais profundos.
    • Praticando tratamentos alternativos, como acupuntura, massagem terapêutica ou ioga.
    • Adotando uma vida saudável que inclui boa alimentação, exercícios físicos, atividades de lazer e uma rotina equilibrada entre a vida pessoal e o trabalho.

    Se você está se sentindo sobrecarregado e à beira de um colapso mental, considere estas estratégias para gerenciar seus sintomas:

    • Respire profundamente e conte até 10 quando estiver se sentindo ansioso ou estressado.
    • Corte a cafeína e álcool ou qualquer substância estimulante de sua dieta.
    • Desenvolva um horário de sono e uma rotina que o ajudem a dormir bem. Isso pode significar tomar um banho quente, desligar aparelhos eletrônicos ou ler um livro antes de dormir.

    Quando devo consultar um psicólogo

    Não é incomum alguém se sentir, em um momento ou outro, incapaz de lidar com o estresse da vida. Na realidade, quase todas as pessoas sentem isso. E um psicólogo é útil para todas as pessoas, seja para lidar com um transtorno ou para o desenvolvimento pessoal. A terapia ajuda as pessoas a realizarem metas e alcançar melhor seus objetivos.

    Agora, se você não está lidando com o estresse de maneira saudável e tiver dificuldades em realizar suas tarefas diárias, precisa urgente consultar um psicólogo. Um colapso mental pode ser uma situação pontual ou um sinal de um distúrbio mental mais grave. É importante que você vá ao psicólogo assim que notar sinais de um colapso.

    A família e amigos também devem entrar em contato com um psicólogo o mais rápido possível se estiverem preocupados com o comportamento ou estado mental de um ente querido.

    Dicas para evitar um colapso mental

    Modificações de estilo de vida podem ajudá-lo a evitar um colapso mental. Eles também podem ajudar a diminuir a gravidade e a frequência deles. Adote atividades como:

    • Faça exercícios regulares pelo menos 3 vezes por semana, o que pode ser tão simples quanto andar pelo seu bairro por 30 minutos.
    • Vá a um terapeuta ou sessões de aconselhamento para gerenciar o estresse.
    • Evite drogas, álcool, cafeína e outras substâncias estimulantes que intensificam o estresse físico e mental.
    • Tenha uma noite de sono completa, tranquila e saudável. Por isso evite computadores e eletrônicos em seu ambiente de descanso.
    • Incorporando técnicas de relaxamento como respiração profunda em sua rotina diária.

    Como vimos o colapso mental não é um transtorno, porém ele é um grande indicativo de que você não está bem e precisa com urgência mudar sua vida. E para ter mudanças positivas e construtivas é preciso desenvolver o autoconhecimento e adotar um estilo de vida saudável.

    Gostou do artigo? Então pode se interessar por esse aqui também: O medo de perder que se torna irracional e anula nossa vida.

Outros textos que podem lhe interessar

Autor: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.