O poder do fracasso para o crescimento pessoal

O poder do fracasso para o crescimento pessoal

O fracasso pode ser um momento doloroso, mas não precisa ser prejudicial. Leia o texto e veja como torná-lo mais um degrau de nosso sucesso.

A nossa carreira raramente sai como planejada. Mesmo que tenha preparado desde cedo o seu caminho, muitas coisas podem acontecer. Você pode ser intuitivo o suficiente para saber o que quer fazer, prudente o bastante para fazer um plano à prova de falhas e, ainda assim, haverá obstáculos que o impedem de viver o seu cenário profissional perfeito. Todos sempre estamos passíveis de fracasso. Mais impactante do que o fracasso é a maneira como você reage a ele, comentam os psicólogos.

Como o fracasso pode beneficiar você?

Se deparou com problemas e imprevistos que o impediram de progredir? Entenda que essas dores de cabeça podem atrapalhá-lo e até mesmo repensar se está no caminho certo.

Mas elas não são o motivo para se arrepender de seus erros ou ainda sofrer pelas coisas que o impediram de conquistar a carreira que sempre desejou. Na verdade, você deve encarar o fracasso como ele realmente é: um degrau para o seu aperfeiçoamento pessoal.

Sofreu uma injustiça e uma puxada de tapete? Cometeu um erro que dificultou a ponto de achar que as cortinas estão fechadas para você? Está passando por grande estresse e dificuldades pessoais?

Então o fracasso é seu melhor amigo. É ele quem o fará mais forte, o tornará melhor. É ele quem o deixará mais cuidadoso com colegas de trabalho, o ajudará a aprender e não cometer mais os mesmos erros. É ele quem o obrigará a desenvolver suas habilidades emocionais e psicológicas para lidar com situações difíceis.

Quando paramos de sofrer e entendemos que o fracasso nada mais é que um ponto de mudança necessário para a nossa vida, passamos a ver as coisas que nos rodeiam com clareza. Conseguimos nos sair melhor em outras situações e oportunidades e até mesmo reverter situações que pareciam já perdidas.

Que tal conhecer algumas dicas de como usar o fracasso ao seu favor? Leia o texto e descubra!

1. Perda de oportunidade

Você dormiu até tarde e perdeu o prazo para uma apresentação ou apresentação de um projeto? Em primeiro lugar lembre-se de que você é um humano e não é a primeira nem a última pessoa que cometerá esse erro.

Será que aquela pessoa que você tanto admira não fez isso em algum momento da vida dela? E se puder concertar e remarcar uma nova entrevista, que ótimo! Aprenda com o erro e não deixe isso acontecer novamente.

O que você deve evitar é encarar isso com muita severidade. Se é um assunto sério, então tome-o como uma lição para lembrar no futuro. Mas ficar relembrando continuamente e se martirizando por algo que já aconteceu nunca ajuda ninguém.

Mesmo que isso signifique a sua demissão. Você perdeu um emprego, não sua carreira. Sempre poderá começar em outra empresa. O que define o profissional que você é são seus conhecimentos e habilidades, não quem assina seu contracheque.

2. Ser fiel a si mesmo e a seus princípios

Seu chefe não tem uma bússola moral? Ele ordena que você faça tarefas antiéticas contra clientes ou concorrentes? Confrontar seu chefe com suas práticas desonestas pode não estar na sua lista de prioridades… Nem daquelas que o colocarão no topo da fila das promoções…

No entanto, quando você começa a passar muito tempo seguindo seus afazeres e tem a sensação de que estar “fazendo a coisa errada”, vai sofrer mais do que se confrontasse seu empregador.

Se eles sabem que você sabe o que está fazendo errado, eles podem decidir mudar suas próprias práticas. E mesmo que decidam dispensar você por permanecer fiel à sua própria integridade, é fácil se consolar sabendo que esse não era o tipo de lugar para o qual você queria trabalhar.

>>> Veja também: 5 dicas para lidar com pessoas difíceis no trabalho

Você pode se arrepender da perda temporária de renda, mas nunca se arrependerá de manter seus princípios. Isso o tornará cada vez mais forte e mais preparado. Como dissemos anteriormente, sua carreira é você, e não quem assina seu contracheque. Enfraquecer a si mesmo para manter uma renda nunca é nem será progresso na carreira.

3. Demissão é parte do jogo

Há algumas maneiras diferentes de ser demitido: fazendo a coisa errada, fazendo a coisa certa ou não fazendo nada. Se fez a coisa errada, então você sabe disso, e pode tomar isso como mais um capítulo de “construção de caráter” na vida.

Se você fez a coisa certa, provavelmente está cumprindo a prática de permanecer fiel a si mesmo, e não há vergonha nisso.

Se você não fez nada, então, enquanto você pode querer gritar contra a injustiça, lembre-se que provavelmente não foi sua culpa. É provável que fatores além do seu controle estivessem atuando como, por exemplo, política de corte de gastos da empresa.

>>> Veja também: Como encontrar equilíbrio entre a vida pessoal e profissional

4. Mudar de carreira

Pergunte a si mesmo: você ama o que você está fazendo agora? O que você queria ser quando era jovem? É o que você é ainda o que deseja ser?

Ao longo de nossas vidas sofremos pequenas e grandes mudanças. Aquele prato de comida que você odiava passa a ser delicioso agora. Aquele estilo musical que zombou em sua juventude hoje está em sua playlist… Podemos passar horas enumerando várias pequenas situações em que mudamos.

E isso vale para tudo. Seu caráter, seus gostos, o que te faz feliz… Tudo pode ser mudado com a maturidade emocional, com as experiências de vida entre outras situações. E pode ser que aquilo que você gostava não o satisfaça mais. Ou ainda, a carreira que vislumbrava não é exatamente o que você sonhava.

E se já mudou sua carreira, pelo menos uma vez, então porque não mudar de novo? Tanto quanto qualquer um sabe, esta é a única vida que temos, então por que você deve desperdiçá-la fazendo uma coisa quando você quer fazer outra? Se você não sente a mesma paixão pela carreira que escolheu, então por que fazer isso pelo resto de sua vida?

Felizmente, sempre há pessoas com conselhos para ajudá-lo a fazer mudanças e melhorar a partir do fracasso. Procure alguém que seja encorajador e que inspire você ou ainda peça ajuda a psicólogos. Eles são profissionais totalmente preparados para ajudá-lo a ter autoconhecimento e a desenvolver suas aptidões.

Gostou do texto? Então pode se interessar por esse: 5 sinais de que você promove a autossabotagem

Autor: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.