O poder do otimismo

O poder do otimismo

Você conhece o poder do otimismo? Leia o texto e veja todos os benefícios que pensamentos e atitudes otimistas podem trazer para a sua vida!

O conceito do otimismo envolve uma mistura de emoções construtivas e uma atitude positiva em relação à vida. Adotar uma visão otimista da vida pode ser desafiador, mas traz muitos benefícios. O poder do otimismo é capaz de mudar vidas, afirmam os psicólogos.

A relação entre a depressão e o pessimismo

É bem conhecido que as pessoas que sofrem de depressão têm atitudes e pensamentos pessimistas em relação à vida, aos outros e a si mesmas.

>>> Veja também: Você conhece as suas necessidades reais?

Nossas crenças e atitudes foram influenciadas por vários fatores, como a nossa educação durante a infância, a nossa experiência de vida e as relações interpessoais. No entanto, o que é crucial lembrar é que, como um adulto, você tem controle total sobre sua própria vida e o modo de pensar. Assim, você pode mudar suas atitudes pessimistas.

Atitudes pessimistas podem mantê-lo preso e fazer sentir-se infeliz. Por isso, mesmo que seja desafiador, acreditar no poder do otimismo vale a pena.

O poder do otimismo e benefícios

O otimismo não é uma fé cega, mas sim a capacidade de ser esperançoso em relação ao amanhã e de canalizar suas próprias atitudes a fim de construir um futuro melhor para si mesmo.

Está a procura de psicólogo em São Paulo para questões muito buscadas em consultórios de psicologia? Conheça os nossos psicólogos, veja o valor das consultas e agende sua consulta diretamente pelo nosso site.

É uma atitude útil em relação à vida, a si mesmo e aos outros, porque permite que você considere todas as formas e caminhos para ser bem-sucedido. E isso em qualquer situação, seja ela favorável ou não. Isso pode melhorar sua saúde mental, melhorar relacionamentos, melhorar sua autoestima etc.

O pessimismo, por outro lado, cria barreiras ao forçar você a um caminho de negatividade. Você foca em todas as maneiras pelas quais você pode falhar e pode facilmente levá-lo a comportamentos autodestrutivos.

Aprendendo a tornar-se um otimista

Assim como todas as nossas habilidades, o otimismo pode ser aprendido. Confira algumas atitudes que, se você adotar, pode fazer com que usufrua o poder do otimismo.

Reenquadrar seu pensamento

Mesmo nas piores situações sempre há uma fagulha de positividade. Reenquadrar é reinterpretar suas experiências passadas e presentes. Talvez sua experiência tenha sido uma valiosa lição de vida, ou talvez tenha aberto o caminho para uma alternativa melhor. Seja qual for o caso, certifique-se de enfatizar os aspectos positivos de todas as situações.

Aprecie as pequenas coisas

Parte da razão pela qual as pessoas acabam se sentindo pessimistas em relação ao seu futuro é o nosso desejo constante de grandes conquistas. Em vez de ficar obcecado em alcançar o seu grande objetivo final, tente aproveitar os passos em direção a ele.

Embora a busca de grandes objetivos ser muito produtiva, a vida é repleta de prazeres simples. Poderia ser um amigável “bom dia” do carteiro ou um gesto gentil de um colega de trabalho.

Seja grato

A felicidade é mais um estado mental do que um objetivo — não buscamos a felicidade, vivemos isso. A gratidão é essencial quando você quer ser feliz e atrair coisas boas para a sua vida.

Uma das melhores maneiras de cultivar a gratidão é usar um diário ou algum formulário. Todos os dias, escreva 3 coisas pelas quais você é grato. Até mesmo as pequenas coisas. O importante é que você seja capaz de encontrar uma fonte de gratidão nelas.

Mais tarde, conforme passa pelas anotações do diário, você teria acumulado uma lista enorme de coisas que trazem positividade para sua vida.

O poder do otimismo muda vidas. Ele beneficia a saúde física e psicológica. Além disso, ele realmente melhora a vida, já que permite visualizarmos situações e caminhos antes enublados pelo pessimismo.

Gostou do texto? Então pode se interessar por esse também: 5 técnicas de relaxamento incríveis

Quem leu esse texto também se interessou por:

Autor: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.