Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Guia prático para reconhecer e valorizar as suas qualidades

guia-pratico-para-reconhecer-e-valorizar-as-suas-qualidades

A capacidade de reconhecer qualidades e atributos positivos é muito valiosa. A pessoa com autoestima elevada sabe a importância das suas habilidades, valores, qualidades e traços de personalidade, além de ter conhecimento sobre como utilizá-los para favorecê-la. É por essa razão que os demais a veem como exemplo de autoconfiança e de determinação.

Não é que essa pessoa seja uma super-heroína, capaz de aguentar todo o tipo de adversidade com bravura. Ela apenas conhece a si mesma e não desrespeita os seus limites. Você também pode desenvolver essas competências!

Já parou para definir as suas qualidades no papel? Ou refletir se você as valoriza como deveria? Essas atitudes não são alimentos para o ego, mas, sim, maneiras de fortalecer a sua saúde mental. Você pode fazê-las tanto a sós quanto com a orientação de um psicólogo.

O que são qualidades?

Qualidades são características usadas para definir uma pessoa. Elas podem vir do berço ou ser desenvolvidas ao longo da sua existência. Em qualquer fase da vida, é possível reter novas qualidades se você fizer o esforço necessário para integrá-las em seu comportamento.

Usamos as qualidades para definir os nossos atributos positivos, embora também existam qualidades negativas. De fato, qualquer característica pode se tornar negativa ou positiva dependendo do contexto social.

Por exemplo, uma pessoa metódica pode ser considerada excelente para trabalhos que exigem atenção redobrada, mas ser vista como tediosa ou careta em um ambiente descontraído. Esta é outra característica das qualidades. Elas são determinadas por meio de perspectivas diferentes, e não por verdades absolutas. 

Para tirar o melhor proveito de seus pontos fortes, você precisa reconhecê-los e saber como usá-los de acordo com a ocasião.

Como reconhecer as qualidades pode ser útil?

Valor Consulta Psicóloga Cláudia






Não quero informar nome ou e-mail





O reconhecimento das suas qualidades pode ajudá-lo a subir na carreira, encontrar mais oportunidades, controlar as suas emoções e firmar relacionamentos duradouros, além de fazer muito bem para a sua saúde mental. Você pode descobrir, ainda, que o rumo o qual a sua vida tomou pode não condizer com quem você realmente é e, por isso, sente-se estagnado ou incapaz. 

A valorização das qualidades também traz motivação, energia física, vontade de ser útil, bom humor, capacidade de sonhar alto e felicidade. Você já deve ter percebido o alto astral das pessoas que se dispõem a fazer o bem, certo? Isso acontece porque os seres humanos possuem uma tendência natural a dar ao mundo o que estão sentindo.

A vida, em geral, se torna mais satisfatória quando valorizamos o que há de bom em nós. Os atributos negativos também podem ser reconhecidos, mas não para que sejam colocados em um pedestal.

Muitas pessoas usam os seus defeitos como pretexto para se punirem ou se autossabotarem, convidando condições mentais a se instalarem em seu ser. Se há alguma característica em você que não lhe agrada, trabalhe para transformá-la em uma qualidade em determinados contextos ou minimizá-la.

Sinais de que você não valoriza as suas qualidades

Abaixo, veja alguns sinais de alerta de que você não dá o devido valor aos seus atributos positivos.

  • Você se magoa ou se irrita facilmente, atribuindo a culpa de seus sentimentos ou de acontecimentos ruins a terceiros;
  • Você se coloca na posição de vítima com frequência;
  • Você não sente que é capaz de grandes feitos, embora nunca tenha tentado deixar a sua zona de conforto;
  • Você não acredita ser merecedor de coisas boas, inclusive da felicidade;
  • Você se permite ficar em situações tóxicas ou abusivas;
  • Você tem dificuldade para perdoar e superar mágoas do passado;
  • Você não consegue melhorar a sua condição de vida atual por mais que tente;
  • Você concorda com o que os demais dizem somente para evitar conflitos;
  • Você tem dificuldade para tomar decisões, precisando da validação de outras pessoas ou permitindo que elas decidam por você;
  • Você não expressa as suas opiniões porque acredita que não são importantes ou que ninguém se importará com elas;
  • Você se permite ser maltratado;
  • Você não sabe se defender;
  • Você não aceita elogios;
  • Você aceita trabalhar em um lugar que detesta ou fazer algo que não gosta porque não acredita ser capaz de encontrar algo melhor;
  • Você não valoriza as suas conquistas por mais incríveis que sejam;
  • Você corre para atribuir o seu sucesso a um elemento externo, como a sua família e aos seus colegas de trabalho;
  • Você simplesmente não sabe quais são as suas qualidades; e
  • Você não acredita quando as pessoas atribuem características boas à sua personalidade e modo de pensar, agir e de ser.

Como valorizar as qualidades?

Identificar e valorizar as suas qualidades pode ser um grande desafio para quem tem baixa autoestima.

Acostumado a alimentar somente os defeitos, você não consegue encontrar adjetivos o suficiente para se descrever. A crença de que reconhecer qualidades é sinônimo de arrogância também pode impedi-lo de fazer esse exercício, embora esteja longe da verdade.

Para encontrar os seus pontos fortes, você precisa se conhecer. Você já parou para pensar nisso? O quanto, de fato, você sabe sobre si mesmo e suas crenças?

Descobrir o que o torna um indivíduo único é empoderador, mas pode levar tempo. Pode ser necessário repetir os mesmos exercícios de autoconhecimento até você reconhecê-las e, de fato, acreditar nelas. Veja algumas dicas abaixo para ajudá-lo nessa jornada.

1.     Foque nas coisas boas em você

Sabe aquela voz dentro de você que o critica? Deixe de ouvi-la ou, melhor, responda com elogios a si mesmo. Se necessário, os escreva em uma folha ou em um aplicativo do celular quando o seu crítico interior aparecer.

É normal errar ou fracassar em algum momento da vida, portanto, não se penalize. Em vez disso, foque em quais atributos você possui que podem ajudá-lo a voltar ao caminho para o sucesso. 

2.     Tente novas experiências

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Você pode descobrir muito sobre si mesmo ao tentar coisas novas. Permanecer na zona de conforto vai deixá-lo acomodado e preguiçoso. De preferência, faça algo que nunca pensou ser possível, como um curso de tema inusitado ou esporte radical.

Assim, à medida que se adapta e resolve problemas relacionados à nova situação, você descobrirá qualidades adormecidas.

3.     Elenque as suas conquistas

Mensalmente, faça uma lista de conquistas. No fim do ano, você terá um panorama completo de todas as coisas incríveis que alcançou. Para aprofundar o exercício, reflita sobre quais traços da sua personalidade você usou para conseguir cada conquista.

4.     Peça ajuda de pessoas próximas

Peça a opinião de pessoas próximas sobre as suas qualidades. Comece com os indivíduos com quem você tem mais afinidade, como amigos e familiares. Pergunte também o que você poderia mudar para evoluir como pessoa. Em seguida, reflita sobre as respostas deles.

Por fim, faça perguntas semelhantes para pessoas as quais você não tem tanta intimidade. As respostas podem doer, mas a chance de serem mais próximas da realidade é maior. Porém, saiba que alguns indivíduos podem se aproveitar da situação para deixá-lo para baixo. Filtre somente o que pode ser útil para você.

5.     Revisite as suas qualidades todos os dias

Novamente, faça uma lista com as suas qualidades. Se não souber exatamente quais palavras usar, pesquise na internet. Revisite essa lista todos os dias, principalmente quando se sentir mal, para se acostumar com a realidade de quem você é.

6.     Questione-se constantemente

Você também pode se questionar para encontrar respostas sobre quem você é e quais são os seus pontos fortes. Para facilitar o exercício, você pode escrevê-las. A linguagem escrita exige mais reflexão, por isso, pode resultar em esclarecimentos mais profundos.

Algumas perguntas que você pode fazer a si mesmo são:

  • Quais as cinco características que mais gosto em mim?
  • Qual a minha conquista de maior orgulho? Quais atributos usei para alcançá-la?
  • Se você pudesse dominar uma habilidade ou ter uma característica, qual seria?
  • O que me está me prendendo atualmente? O que posso fazer para mudar isso?
  • Qual foi o maior obstáculo que você venceu? Como?

7.     Faça terapia

Como a terapia também trabalha o autoconhecimento, pode auxiliá-lo a definir e a aprender a valorizar suas qualidades. Você também pode compartilhar um problema específico, como uma situação no trabalho ou em casa, para que o psicólogo o ajude a encontrar quais atributos pessoais poderão ajudá-lo a solucioná-lo. Dessa forma, você aplica as suas qualidades na prática e tira a prova de que realmente são valiosas. 

A capacidade de reconhecer qualidades e atributos positivos é muito valiosa. A pessoa com autoestima elevada sabe a importância das suas habilidades, valores, qualidades e traços de personalidade, além de ter conhecimento sobre como utilizá-los para favorecê-la. É por essa razão que os demais a veem como exemplo de autoconfiança e de determinação.

Não é que essa pessoa seja uma super-heroína, capaz de aguentar todo o tipo de adversidade com bravura. Ela apenas conhece a si mesma e não desrespeita os seus limites. Você também pode desenvolver essas competências!

Já parou para definir as suas qualidades no papel? Ou refletir se você as valoriza como deveria? Essas atitudes não são alimentos para o ego, mas, sim, maneiras de fortalecer a sua saúde mental. Você pode fazê-las tanto a sós quanto com a orientação de um psicólogo.

O que são qualidades?

Qualidades são características usadas para definir uma pessoa. Elas podem vir do berço ou ser desenvolvidas ao longo da sua existência. Em qualquer fase da vida, é possível reter novas qualidades se você fizer o esforço necessário para integrá-las em seu comportamento.

Usamos as qualidades para definir os nossos atributos positivos, embora também existam qualidades negativas. De fato, qualquer característica pode se tornar negativa ou positiva dependendo do contexto social.

Por exemplo, uma pessoa metódica pode ser considerada excelente para trabalhos que exigem atenção redobrada, mas ser vista como tediosa ou careta em um ambiente descontraído. Esta é outra característica das qualidades. Elas são determinadas por meio de perspectivas diferentes, e não por verdades absolutas. 

Para tirar o melhor proveito de seus pontos fortes, você precisa reconhecê-los e saber como usá-los de acordo com a ocasião.

Como reconhecer as qualidades pode ser útil?

Psicólogos

Conheça os psicólogos e psicólogas do consultório. Veja o perfil detalhado de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

O reconhecimento das suas qualidades pode ajudá-lo a subir na carreira, encontrar mais oportunidades, controlar as suas emoções e firmar relacionamentos duradouros, além de fazer muito bem para a sua saúde mental. Você pode descobrir, ainda, que o rumo o qual a sua vida tomou pode não condizer com quem você realmente é e, por isso, sente-se estagnado ou incapaz. 

A valorização das qualidades também traz motivação, energia física, vontade de ser útil, bom humor, capacidade de sonhar alto e felicidade. Você já deve ter percebido o alto astral das pessoas que se dispõem a fazer o bem, certo? Isso acontece porque os seres humanos possuem uma tendência natural a dar ao mundo o que estão sentindo.

A vida, em geral, se torna mais satisfatória quando valorizamos o que há de bom em nós. Os atributos negativos também podem ser reconhecidos, mas não para que sejam colocados em um pedestal.

Muitas pessoas usam os seus defeitos como pretexto para se punirem ou se autossabotarem, convidando condições mentais a se instalarem em seu ser. Se há alguma característica em você que não lhe agrada, trabalhe para transformá-la em uma qualidade em determinados contextos ou minimizá-la.

Sinais de que você não valoriza as suas qualidades

Abaixo, veja alguns sinais de alerta de que você não dá o devido valor aos seus atributos positivos.

  • Você se magoa ou se irrita facilmente, atribuindo a culpa de seus sentimentos ou de acontecimentos ruins a terceiros;
  • Você se coloca na posição de vítima com frequência;
  • Você não sente que é capaz de grandes feitos, embora nunca tenha tentado deixar a sua zona de conforto;
  • Você não acredita ser merecedor de coisas boas, inclusive da felicidade;
  • Você se permite ficar em situações tóxicas ou abusivas;
  • Você tem dificuldade para perdoar e superar mágoas do passado;
  • Você não consegue melhorar a sua condição de vida atual por mais que tente;
  • Você concorda com o que os demais dizem somente para evitar conflitos;
  • Você tem dificuldade para tomar decisões, precisando da validação de outras pessoas ou permitindo que elas decidam por você;
  • Você não expressa as suas opiniões porque acredita que não são importantes ou que ninguém se importará com elas;
  • Você se permite ser maltratado;
  • Você não sabe se defender;
  • Você não aceita elogios;
  • Você aceita trabalhar em um lugar que detesta ou fazer algo que não gosta porque não acredita ser capaz de encontrar algo melhor;
  • Você não valoriza as suas conquistas por mais incríveis que sejam;
  • Você corre para atribuir o seu sucesso a um elemento externo, como a sua família e aos seus colegas de trabalho;
  • Você simplesmente não sabe quais são as suas qualidades; e
  • Você não acredita quando as pessoas atribuem características boas à sua personalidade e modo de pensar, agir e de ser.

Como valorizar as qualidades?

Identificar e valorizar as suas qualidades pode ser um grande desafio para quem tem baixa autoestima.

Acostumado a alimentar somente os defeitos, você não consegue encontrar adjetivos o suficiente para se descrever. A crença de que reconhecer qualidades é sinônimo de arrogância também pode impedi-lo de fazer esse exercício, embora esteja longe da verdade.

Para encontrar os seus pontos fortes, você precisa se conhecer. Você já parou para pensar nisso? O quanto, de fato, você sabe sobre si mesmo e suas crenças?

Descobrir o que o torna um indivíduo único é empoderador, mas pode levar tempo. Pode ser necessário repetir os mesmos exercícios de autoconhecimento até você reconhecê-las e, de fato, acreditar nelas. Veja algumas dicas abaixo para ajudá-lo nessa jornada.

1.     Foque nas coisas boas em você

Sabe aquela voz dentro de você que o critica? Deixe de ouvi-la ou, melhor, responda com elogios a si mesmo. Se necessário, os escreva em uma folha ou em um aplicativo do celular quando o seu crítico interior aparecer. É normal errar ou fracassar em algum momento da vida, portanto, não se penalize. Em vez disso, foque em quais atributos você possui que podem ajudá-lo a voltar ao caminho para o sucesso. 

2.     Tente novas experiências

Você pode descobrir muito sobre si mesmo ao tentar coisas novas. Permanecer na zona de conforto vai deixá-lo acomodado e preguiçoso. De preferência, faça algo que nunca pensou ser possível, como um curso de tema inusitado ou esporte radical. Assim, à medida que se adapta e resolve problemas relacionados à nova situação, você descobrirá qualidades adormecidas.

3.     Elenque as suas conquistas

Mensalmente, faça uma lista de conquistas. No fim do ano, você terá um panorama completo de todas as coisas incríveis que alcançou. Para aprofundar o exercício, reflita sobre quais traços da sua personalidade você usou para conseguir cada conquista.

4.     Peça ajuda de pessoas próximas

Peça a opinião de pessoas próximas sobre as suas qualidades. Comece com os indivíduos com quem você tem mais afinidade, como amigos e familiares. Pergunte também o que você poderia mudar para evoluir como pessoa. Em seguida, reflita sobre as respostas deles.

Por fim, faça perguntas semelhantes para pessoas as quais você não tem tanta intimidade. As respostas podem doer, mas a chance de serem mais próximas da realidade é maior. Porém, saiba que alguns indivíduos podem se aproveitar da situação para deixá-lo para baixo. Filtre somente o que pode ser útil para você.

5.     Revisite as suas qualidades todos os dias

Novamente, faça uma lista com as suas qualidades. Se não souber exatamente quais palavras usar, pesquise na internet. Revisite essa lista todos os dias, principalmente quando se sentir mal, para se acostumar com a realidade de quem você é.

6.     Questione-se constantemente

Você também pode se questionar para encontrar respostas sobre quem você é e quais são os seus pontos fortes. Para facilitar o exercício, você pode escrevê-las. A linguagem escrita exige mais reflexão, por isso, pode resultar em esclarecimentos mais profundos.

Algumas perguntas que você pode fazer a si mesmo são:

  • Quais as cinco características que mais gosto em mim?
  • Qual a minha conquista de maior orgulho? Quais atributos usei para alcançá-la?
  • Se você pudesse dominar uma habilidade ou ter uma característica, qual seria?
  • O que me está me prendendo atualmente? O que posso fazer para mudar isso?
  • Qual foi o maior obstáculo que você venceu? Como?

7.     Faça terapia

Como a terapia também trabalha o autoconhecimento, pode auxiliá-lo a definir e a aprender a valorizar suas qualidades. Você também pode compartilhar um problema específico, como uma situação no trabalho ou em casa, para que o psicólogo o ajude a encontrar quais atributos pessoais poderão ajudá-lo a solucioná-lo. Dessa forma, você aplica as suas qualidades na prática e tira a prova de que realmente são valiosas. 

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Psicóloga Thaiana Brotto

CRP 106524/06. CEO do consultório Psicologo Com.Br. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *