O que é o Transtorno de Personalidade Borderline?

Categoria dos serviços dos psicólogos: terapia cognitivo comportamental
O que é o Transtorno de Personalidade Borderline?

Muitas pessoas sofrem com o Transtorno de Personalidade Borderline sem saber que a tem. Que tal conhecer um pouco mais dela? Leia o artigo.

Transtorno da Personalidade Borderline é um distúrbio da regulação emocional que afeta até 5% da população. Até algumas décadas atrás, os diagnosticados com esse problema psicológico eram considerados intratáveis. Apesar de hoje o tratamento ser possível, os indivíduos que vivem com Transtorno de Personalidade Borderline enfrentam estigma. Mas com tratamento correto a vida das pessoas com essa desordem pode mudar e elas podem ter esperança na recuperação.

É uma desordem de difícil diagnóstico. Isso acontece porque muitos sintomas do Transtorno de Personalidade Borderline são semelhantes aos encontrados em outras disfunções como o transtorno bipolar, transtorno de ansiedade, esquizofrenia e outros transtornos de personalidade.

Está a procura de psicólogo em São Paulo para atendimento de terapia cognitivo comportamental? Conheça os nossos psicólogos, veja o valor das consultas e agende sua consulta diretamente pelo nosso site.

Como identificar o Transtorno de personalidade Borderline?

IMPORTANTE: Apenas um profissional de saúde mental habilitado, como um psicólogo, por exemplo, pode diagnosticar a doença. O autodiagnostico pode ser muito perigoso, ainda mais se tratando de tal desordem. Inclusive, uma desordem psicológica pode ter raiz em um problema ainda mais grave, portanto, um psicólogo irá indicar um tratamento adequado e completo.

Os sintomas do Transtorno da Personalidade Borderline podem ser resumidos como instabilidade no humor, pensamento, comportamento, relacionamentos pessoais e autoimagem. Vamos passar uma lista dos principais sintomas, mas ressaltamos que, caso você desconfie possuir tal desordem, procure um psicólogo. Ele irá diagnosticar seu problema e proceder com o tratamento correto. Agora confira os principais sinais:

  • Medo profundo de abandono e total intolerância à rejeição. O borderline tem um medo extremo de abandono, seja ele real ou imaginário.
  • Alterações de humor intensas em um período muito breve. Essa é a grande diferença do transtorno bipolar. Enquanto o bipolar passa por grandes períodos (semanas) de depressão e euforia, o borderline pode experimentar essa alteração em dias.
  • Impulsividade. Toma decisões importantes como sair de um emprego, romper um relacionamento, entre outros, sem pensar muito nas consequências ou pesar fatores cruciais.
  • Relações intensas instáveis. O borderline possui relacionamentos conflituosos. Inclusive, devido ao medo de abandono, pode ter ciúme intenso e apego excessivo. Ele pode até mesmo romper com a relação por situações imaginárias ou medo de ser abandonado.
  • Comportamentos autodestrutivos e suicidas. A pessoa que sofre tal desordem tem comportamentos autodestrutivos como automutilação, abuso de substâncias  e entorpecentes, chegando até mesmo a ter risco de suicídio.
  • Sentimentos crônicos de vazio, alternado por sentimentos intensos e exagerados.
  • Raiva intensa e em momentos inapropriados. Essa raiva pode surgir de situações imaginárias como ciúme do parceiro, por exemplo. Ela pode, inclusive, gerar agressão, mas o mais comum é que o borderline se auto machuque.
  • Autoimagem distorcida e completamente instável.
  • Dissociação e sentimentos de desapego. A dissociação pode ser descrita como um fenômeno de se distanciar da realidade. O borderline passa a ter uma visão distorcida do que o rodeia. Ele tem o sentimento de que está se afastando de tudo que tem ao redor dele, podendo até mesmo esquecer do que fez e ter períodos de amnésia.
  • Apesar do medo de rejeição o borderline costuma apresentar insensibilidade em seus relacionamentos amorosos.

Mais informações úteis sobre o Transtorno de Personalidade Borderline

Transtorno de Personalidade Borderline pode afetar qualquer pessoa, mas é frequentemente diagnosticada em adolescentes e adultos jovens. Dez por cento dos pacientes borderlines chegam a completar a tentativa de suicídio.

O Transtorno de Personalidade Borderline possui um alto índice de comorbidade com outros distúrbios, como a depressão, o abuso de substâncias entorpecentes, transtornos alimentares e outros transtornos de personalidade. Por isso é fundamental o acompanhamento de um profissional de saúde, tanto para que seja ministrado o tratamento correto quanto para fazer o diagnóstico preciso.

Indivíduos com traços de borderline desenvolvem comportamentos mal-adaptativos (que possuem dificuldade de interagir com o ambiente devido a vulnerabilidade que o indivíduo sente). Esses comportamentos podem ser difíceis para os amigos e familiares entenderem, muitas vezes resultando em relacionamentos com sofrimento.

Pessoas com transtornos de personalidade costumam usar “mecanismos de defesa”, ou estratégias de enfrentamento, que lhes permitem negar a responsabilidade por seus sentimentos e ações.

Uma dessas estratégias de defesa pode ser em dividir as pessoas, colocando algumas em um pedestal enquanto desvaloriza outras. Outra defesa é chamada de “identificação projetiva” – que envolve negar os sentimentos, atribuí-los a outra pessoa e, então, se comportar de uma maneira que faça com que a outra pessoa responda pelos sentimentos dele. Por exemplo, quando a hostilidade do borderline é recíproca ou originária dela, ela pode pensar e/ou agir como se não fosse sua e apenas o outro fosse hostil.

Importância da família no tratamento

Famílias de pessoas que sofrem do transtorno muitas vezes estão perdidas e não sabem o que fazer. Esse é um dos problemas mais sérios. O que fazer com o borderline quando ele tem uma crise de , por exemplo, automutilação, comportamentos agressivos e episódios de dissociação muito graves? Nesse momento é importante estar em contato com o psicólogo. Ele vai saber orientar quais as atitudes certas para tomar.

É muito importante a presença da família e dos amigos no tratamento. Borderlines emocionalmente envolvidos com seus familiares são mais propensos a ter um melhor resultado. Obter ajuda e tratamento para toda a família é fundamental para o bem-estar individual e familiar.

A causa do Transtorno da Personalidade Borderline ainda não está clara. Os teóricos acreditam que seja uma combinação de traços biológicos hereditários e condições ambientais. Do bullying ao trauma de infância, geralmente evolvendo violência, abuso e negligência emocional. Na realidade, há um amplo espectro de fatores ambientais que podem contribuir para o desenvolvimento dos distúrbios.

Mas é importante saber que uma pessoa que possui tal desordem pode ter uma vida mais tranquila e feliz. Basta procurar tratamento o quanto antes, assim, mais fácil e mais rápido será de recuperar o controle da sua vida.

Gostou do artigo? Então pode se interessar por esse também: Mitos sobre a psicoterapia

Outros textos que podem lhe interessar

Autor: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.