Será que eu sou um devedor compulsivo?

Categoria dos serviços dos psicólogos: terapia cognitivo comportamental
Devedor compulsivo

Você ou alguém que você conhece pode ser um devedor compulsivo, sem saber.

Você já teve uma vontade incontrolável de gastar mais do que devia? Sim? Então saiba que você pode estar sofrendo de um tipo de transtorno chamado de “endividamento compulsivo”. A psicologia oferece para quem é devedor compulsivo algumas ferramentas muito importantes, vejamos a seguir.

O que é um devedor compulsivo

Milhares de pessoas pode estar sofrendo agora mesmo desse transtorno. Um devedor compulsivo geralmente é atraído pela ideia de consumo. Parte dessa “necessidade” de comprar ou gastar é influenciada pela sociedade consumidora em que vivemos. Ela nos induz a ter uma satisfação em adquirir coisas.

Essa satisfação não apenas leva a compulsão. Normalmente, há outras causas que levam alguém a tornar-se um devedor compulsivo, como:

  • Traumas psicoemocionais;
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Falta de ânimo;
  • Tristeza;
  • Problemas financeiros;
  • Outros transtornos.

Um devedor compulsivo poderá relatar, por exemplo, que quanto mais se tem/ganha, mais gastos ele fará. O transtorno ou síndrome do endividamento compulsivo é considerado como uma doença, e que tende a tornar-se progressiva se não tratada.

Os problemas sociais

Porém, entre o desafio de se reconhecer como devedor compulsivo, a pessoa ainda terá de enfrentar um outro problema, talvez maior: o preconceito social. Exatamente! O devedor compulsivo é aquela pessoa em que é geralmente mal vista no mercado, no comércio, no trabalho e até dentro da família.

É muito difícil explicar para a sociedade que um devedor compulsivo é uma pessoa que possui um transtorno e que merece uma atenção cuidadosa. Como devedores compulsivos, eles não se enquadram nos padrões “normais” de consumo e gasto que a sociedade estabelece. Assim, são vistos como “desregrados”, “malandros”, “caloteiros” etc.

Em vista desse preconceito, muitos devedores compulsivos se veem em situações de risco. Muitos podem perder bens, por não conseguirem controlar seus gastos, indo diretamente à falência, com dívidas enormes, podendo acarretar perda de empregos e até de moradia.

5 características de um devedor compulsivo

Quando nos deparamos com um devedor compulsivo, percebemos seus sinais pelas perdas, principalmente. Confira os principais sinais de que a pessoa pode estar passando por esse problema.

1. Perdas salariais

São praticamente engolidos pelas dívidas e gastos compulsivos. O descontrole das contas evidencia o problema e afeta drasticamente a sua situação financeira, fazendo a pessoa tomar mais empréstimos, e criando enormes dívidas.

2. Baixa autoestima

Está a procura de psicólogo em São Paulo para atendimento de terapia cognitivo comportamental? Conheça os nossos psicólogos, veja o valor das consultas e agende sua consulta diretamente pelo nosso site.

Perda do respeito próprio e processo de culpa pelo descontrole nos gastos gera baixa autoestima. Comprar pode dar prazer momentâneo. Assim, fazer compras compulsivas ao passar na frente das vitrines é uma forma de elevar a autoestima, momentaneamente. E similar a adicção, o devedor compulsivo sente cada vez mais necessidade de comprar, de modo a buscar essa forma de compensação.

3. Perdas sociais

Um devedor compulsivo geralmente sofre preconceito em relação à sua situação, chegando até mesmo a perder a amizade e até relacionamentos familiares. Além disso, a falta de compromisso é outro sinal indicativo. Às vezes, rompe laços sociais pelo fato de não conseguir cumprir com o que foi emprestado dando-lhe a impressão de falta de compromisso.

4. Problemas psicológicos e emocionais

Falta de interesse na vida, ideias de suicídio, desespero, tristeza e depressão são algumas das consequências do endividamento compulsivo. Gastar mais do que se ganha caracteriza um certo tipo de descontrole emocional específico, da mesma forma que pessoas viciadas em jogo, substâncias químicas ou por comida.

Ou seja, o endividamento compulsivo pode ser o sintoma de um problema maior e mais profundo. E sem tratamento adequado, ele irá piorar e poderá gerar ainda mais problemas em comorbidade.

5. Perda do autocontrole

O fato de não conseguir poupar dinheiro remete à falta de organização pessoal e a inabilidade de conduzir a administração dos gastos. Não planejar pagamentos faz previsível a ocorrência de débitos das contas.

Para os psicólogos, o endividamento compulsivo não é apenas um problema financeiro, mas sim uma doença. Da mesma forma que a pessoa que tem compulsão alimentar, o devedor compulsivo se caracteriza pela ideia de compensar pelo consumo, problemas emocionais e psicológicos internos. A questão é que essa compulsão consumista não irá satisfazer essa necessidade real da pessoa.

O tratamento para a compulsão

O melhor tratamento para quem se reconhece como devedor compulsivo é a ajuda profissional de psicólogos. Eles irão ajudar a encontrar uma nova forma de entender o processo interior, emocional e psicológico da pessoa e oferecer novas ferramentas para a resolução do problema.

Com o tratamento é possível viver longe das dívidas, ter uma vida financeira saudável e controlada. Também possibilita refazer as relações sociais. Quanto mais cedo o endividamento compulsivo for diagnosticado maior será a chance de reabilitação e cura.

Gostou do artigo? Então pode se interessar por esse também: O que é dependência alimentar.

Quem leu esse texto também se interessou por:

Autor: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.