Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Apego demais destrói relacionamentos

Categoria dos serviços dos psicólogos: terapia de casal, relacionamentos, casamento, conjugal
Apego demais destrói relacionamentos

Como lidar com pessoas que demostram apego demais e comprometem a relação a dois

Com certeza é bastante complicado lidar com pessoas possessivas. E quando estamos em um relacionamento com apego demais, tudo fica ainda mais complicado.

Essa é uma das razões que mais levam pessoas aos consultórios psicológicos e lidar com o desapego é uma tarefa bastante difícil.

Antes de mais nada, é importante ter em mente que, com apego ou não, jamais teremos controle sobre o outro.

Por isso, tentar controlar outra pessoa além de ser uma tarefa infrutífera, viver tentando segurar alguém é bastante cansativo.

O apego é diretamente relacionado ao medo de perder, à insegurança, à carência afetiva e à desconfiança. Com certeza, esse é um sinal de desequilíbrio emocional e fragilidades que podem ter origem ainda na infância.

Uma criança que não recebeu o carinho, amparo e atenção necessárias nas fases certas de seu desenvolvimento, ou aquela que recebeu em excesso, pode desenvolver uma patologia – também conhecida como Síndrome de Otelo – caracterizada pelo ciúmes patológico.

O ciúmes patológico pode ser desencadeado por uso de entorpecentes, transtornos psicológicos, psicoses, além de algum trauma relacionado a traições. Isso justifica porque muitas pessoas se tornam abusivas nos relacionamento e também se submetem a eles.

>>> Veja também: Quais são as consequências da traição e como superá-las.

Leia o texto e saiba como identificar e lidar com pessoas que demonstram apego demais.

1) Identifique o objeto de apego

O primeiro passo para lidar com pessoas que demonstram apego demais, é identificar o objeto de apego.

Algumas pessoas serão apegadas a objetos, pessoas, locais, situações. E isso pode ter um fundo afetivo e também de controle, buscando evitar a dor ou a perda.

Caso o apego não seja por pessoas é indicado a realização de terapia para que o paciente possa entender, identificar e controlar de forma consciente seus atos, buscando desenvolver o desapego.

2) Desconfie quando for apego demais

Um padrão de comportamento bastante conhecido na psicologia, é a psicologia reversa ou o que foi chamado por Deprak Chopra, de efeito sombra.

Reproduzimos aquilo que temos ou fazemos e precisamos esconder dos outros.

Seja por vergonha, medo do julgamento ou exposição, o que acontece é que aquilo que reprimimos em nós, verbalizamos e acusamos outras pessoas de fazerem o mesmo, como forma de diminuir nossa dor e vergonha.

Fique atento e observe o comportamento de pessoas com problemas de apego demais.

3) Conheça mais a história do outro

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Conhecer o outro, praticar a escuta ativa, desvendar, buscar aceitar são atitudes que podem melhorar a qualidade do seu relacionamento.

Conhecer a história de vida ajuda a criar empatia e faz com que o outro se sinta mais a vontade.

Mas lembre-se: não critique, não julgue, não condene. Isso irá apenas criar dor e intensificar o problema. Em caso de dificuldade, recorra a um psicólogo para lidar com esse problema.

4) Não ceda, nem entre no jogo abrindo mão de sua liberdade

Ceder, concordar ou ainda deixar o outro nos controlar configura uma relação abusiva. E ninguém deve permanecer em um relacionamento baseado em submissão e excesso de autoridade.

Pense a respeito e veja se você não está se deixando levar por chantagens, argumentos, ameaças.

5) Procure ajuda ou faça terapia de casal

Se o comportamento está saindo do controle e existe apego demais, sugerimos que busque ajuda através de um tratamento psicológico ou da terapia de casal.

Nela, um mediador poderá acompanhar, apontar conflitos e sugerir soluções ao casal.

6) Aprenda a abrir mão do que não dá certo

O desapego vale para ambas as partes, uma vez que muitas vezes nos mantemos em relacionamentos falidos por havermos desenvolvido algum tipo de co-dependência.

E quando passamos a depender do problema do outro, ou vivemos com a ilusão de salvar ou corrigir o outro, somos movidos pelo perfeccionismo e abstenção de nossos próprios problemas.

Nenhuma pessoa envolvida emocionalmente será capaz de ajudar alguém a resolver seus transtornos psicológicos. Por isso o papel do psicólogo é tão importante.

Apego demais destrói relacionamentos e deixa sequelas emocionais severas em quem sofre com esse problema. E isso é muito mais comum do que imaginamos. Converse com seu parceiro e busque ajuda para lidar com o apego excessivo.

Esse artigo foi útil? Pode ser que você se interesse por esse aqui também: Quais as consequências da Traição?

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autora
Thaiana F. Brotto

CRP 106524/06

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.