Ele está sempre irritado? Pode ser depressão!

Irritação e Depressão

Entenda este sintoma da depressão e saiba identificar quando uma pessoa próxima pode estar sofrendo com esta doença.

Embora a maioria das pessoas associe a depressão com quadros de tristeza e melancolia, a doença pode se manifestar a partir de outros comportamentos, como por exemplo, a irritação constante. Os psicólogos alertam: para quem sofre com essa doença, a tendência é agir sempre de maneira negativa, impaciente e com grandes dificuldades de realizar tarefas aparentemente simples.

Tudo isso pode causar estranhamento e até o afastamento de pessoas próximas que não entendem o que se passa, quando na verdade tudo que o depressivo precisa é de compreensão, apoio e incentivo para melhorar sua condição através da ajuda profissional de médicos e psicólogos.

Veja neste artigo como identificar se alguém próximo está passando por um quadro depressivo e como dar o suporte necessário na busca por ajuda.

Irritação e impaciência são alertas para a depressão

O mau humor e a irritabilidade constantes podem ser sintomas de distimia, que é uma manifestação mais leve de depressão. Porém, se não for tratada, pode levar à depressão crônica em até 80% dos casos, o que acaba resultando na necessidade do uso contínuo de medicamentos. Quem apresenta esta doença costuma ter baixa autoestima e bastante dificuldade em se relacionar.

Além da irritação e mau humor constantes, outros sintomas da distimia que devem ser observados são:

  • Desânimo e tristeza;
  • Alterações de apetite;
  • Sono alterado;
  • Pensamentos negativos constantes;
  • Falta de energia;
  • Isolamento;
  • Predisposição ao uso de drogas.

Neste artigo é possível entender melhor a depressão, suas causas, sintomas e tratamentos.

De onde vem a distimia e como tratar?

O transtorno acomete mais facilmente para as pessoas que vivem situações de estresse constantes. Por exemplo, alguns profissionais que tem rotinas de trabalho sob pressão e lidam com situações sociais difíceis, como policiais, médicos, professores, entre outros.

Os homens costumam manifestar sintomas de raiva, irritabilidade e mau humor com mais frequência. E estes são sinais não tão óbvios para identificar um quadro depressivo, uma vez que estas reações costumam ser encaradas como efeito de cansaço e estresse pela rotina atribulada.

Por este motivo é importante saber identificar quando estas emoções ocorrem por um longo período, de forma ininterrupta. Muitas vezes é necessário tratar a doença com medicamentos, mas jamais se deve dispensar a ajuda de um psicólogo, pois terapias específicas são essenciais, neste e em vários outros casos. A psicologia é sempre uma alternativa eficaz na busca por mudanças internas, autoconhecimento e de estilo de vida.

Convivendo com quem tem depressão

Os psicólogos alertam para a falta de conhecimento de quem convive com pessoas que apresentam sintomas depressão e distimia. O desconhecimento acaba fazendo com que as sejam taxadas como mau humoradas, grosseiras e intolerantes, quando na verdade estão enfrentando uma doença que precisa de atenção e cuidado.

Nestes tempos em que a ansiedade e o estresse são constantes em praticamente todas as fases da vida, todos devem estar alertas ao observar algum comportamento atípico em pessoas com quem convive diariamente.

Seja na família, no ambiente de trabalho ou entre amigos, a recomendação é sempre avaliar a hipótese de que a pessoa pode estar enfrentando algum problema mais sério, antes de julgá-la e tratá-la como “chata e mau humorada”. Ao perceber que algum sintoma que indique que o problema pode ser mais grave, é importante apoiá-la e incentivá-la a buscar ajuda de um psicólogo.

Gostou do artigo? Então conheça uma das técnicas de terapia que podem ajudar a tratar a depressão: a TCC – Terapia cognitivo-comportamental.


Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.