Quais são as consequências da traição e como superá-las

Quais são as consequências da traição e como superá-las

A traição em um relacionamento é um dos momentos, senão o pior, mais difíceis de aceitar e superar. A condição de um distúrbio emocional e psicológico pode ser ativado justamente com o sentimento de perda.

A traição é sempre acompanhada de muita dor e tristeza para o traído. Os sentimentos de negação e de falta acarretam em uma profunda tristeza, em que parece impossível de ser superada. Dúvidas e incertezas passam a assombrar a mente da vítima, tornando-a prisioneira da infelicidade, alertam os psicólogos.

É normal quando neste momento surgirem reações violentas “involuntárias”. Além disso, uma traição amorosa pode levar a pessoa a sofrer transtornos psicológicos, como a depressão. Desta forma, estes traumas violentos desencadeiam processos mentais e emocionais difíceis de lidar.

Principais consequências da traição

As experiências traumáticas de separação, traição e culpa são diferentes para cada pessoa. Seja como for, no momento em que há uma ruptura brusca da confiança, projetos, expectativas e sonhos são violentamente alterados. Isso faz com que o equilíbrio emocional e psicológico fique vulnerável a danos de médio a longo prazo.

O estado de depressão causado por uma traição necessita de tratamento e acompanhamento psicológico. Pelos danos causados, são raras as situações de autossuperação. A confiança, empatia e respeito próprio são rompidos internamente.

A traição é uma das maiores responsáveis pelos rompimentos de relacionamentos. A terapia individual ou a terapia de casal é fundamental para essa situação. Ela não apenas ajuda a pessoa a superar o trauma como pode ajudar um casal a evitar um divórcio e a resolver problemas ainda mais profundos. A fidelidade é exposta e colocada em cheque. Neste sentido, a própria noção de fidelidade poderá ser compreendida de forma diferente.

Veja quais são as principais consequências da traição.

1. Agressividade

Reações violentas contra o(a) parceiro(a) ou mesmo contra outras pessoas próximas são frequentes. Por causar uma dor intensa, esta primeira reação tende a ser uma forma automática de refugiar-se contra o sofrimento.

2. Rompimento com o cotidiano

As primeiras reações da pessoa traída são de ruptura de laços de confiabilidade. Esse descontrole pode afetar concentração e a rotina diária. Isso pode até mesmo gerar prejuízos no trabalho e em outros setores da vida.

3. Depressão

O dano causado pode estimular a tensão, o stress, e provocar dores emocionais consideráveis. Crises de raiva, inquietação, ansiedade e agonia constante levam à depressão.

O transtorno do stress pós-traumático da traição leva a pessoa a considerar que as suas relações com o mundo externo não são tão confiáveis assim. E isso não apenas gera transtornos graves como faz com que a pessoa evite buscar qualquer tipo de ajuda.

O processo de superação

O caminho para a recuperação do trauma dependerá das reações imediatas e do comprometimento com a sua busca pela saúde mental e emocional. Curar uma ferida pode ser difícil, mas não é impossível.

O esforço empreendido exige a prática de rotinas e condutas construtivas voltadas para o reestabelecimento do autocontrole. A reconstrução gradual da rotina diária se realizará através de pequenas mudanças.

Por trás dos distúrbios ocasionais, existem ainda as emoções reprimidas que podem dificultar a superação. Por isso um psicólogo tem papel fundamental neste momento. É ele quem lhe ajudará a entender e ressignificar toda essa bagagem emocional.

Reflexos da traição no ambiente

Compreender que buscar a própria cura emocional pode ser um caminho difícil, mas é muito necessário. Isso por que um caso de traição ultrapassa apenas o sentimento pessoal. Ela pode afetar as relações de trabalho, gerar separação que terá impactos na vida dos filhos, acarretar problemas financeiros etc. O ambiente social em que se está inserido deve ser cuidadosamente observado.

A ajuda terapêutica indicará os limites de si mesmo, bem como, as possibilidades de novas mudanças no estilo de vida. A não aceitação do problema poderá levar a uma gradativa escala de emoção autodestrutiva. Essas emoções contidas podem ainda, ocasionar somatizações. Ou seja, gerarem problemas de ordem fisiológica (câncer, gastrite, infecções etc.).

Analisando seu passado para prosseguir no futuro

Mesmo que a pessoa não tenha cometido a traição, é importante reconhecer que em algum momento, sua relação poderia traçar outro caminho. Compartilhar esta análise com o terapeuta avançará no processo de entendimento de si mesmo e como lidar com as pessoas.

Mas é importante que fique claro que isso não se trata de encontrar justificativas para os atos de infidelidade. É importante entender os motivos da dor, fortalecer o autoconhecimento, buscar superação de traumas individuais e retomar o controle da vida.

A traição pode acarretar em traumas e grande prejuízo nos campos emocionais, profissionais e físicos. Ela impacta tanto no indivíduo como no contexto social. É importante buscar meios de superar esse problema, a fim de que se possa seguir em frente. A terapia é uma grande aliada na retomada da vida.

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.