Newsletter Gratuita
Assine Aqui

A importância do autocuidado para estudantes universitários

A importância do autocuidado para estudantes universitários

A rotina de estudantes universitários pode ser muito puxada. A vida universitária é ao mesmo tempo gratificante e cansativa. Envolve uma diversidade de questões emocionais e pessoais, como a pressão para se tornar um bom profissional no futuro, a vontade de orgulhar a si mesmo e a família e o medo das vivências após a formatura.

O autocuidado é uma prática muito descomplicada que consiste em cuidados pessoais com as emoções, a saúde mental, a saúde física, os relacionamentos, a organização financeira, a espiritualidade, o sucesso profissional e acadêmico, entre outros.

Pode parecer algo muito amplo a princípio. Como cuidar de tantas áreas da vida ao mesmo tempo e ainda focar nos compromissos da universidade? Não se preocupe! Neste post, vamos explanar tudo sobre autocuidado para estudantes universitários.

Estresse na vida universitária

Os estudantes universitários são vítimas frequentes do estresse. A vida universitária desencadeia muitas preocupações. Estudos, trabalhos, provas, apresentações, seminários, congressos e estágios. É uma longa trajetória de aquisição de conhecimento até a obtenção do diploma e o início da carreira profissional.

Valor Consulta Psicóloga Veluma






Não quero informar nome ou e-mail





Além dos compromissos típicos de um universitário, os estudantes ainda precisam se preocupar com questões habituais da vida, como relacionamentos, afazeres domésticos, vida social, saúde, lazer, trabalho e família.

Há, ainda, os questionamentos próprios dessa fase da vida. Será que vou conseguir um bom emprego? Será que vou dar conta de todas as minhas obrigações? O que vai ser de mim depois da graduação? Qual o melhor caminho a seguir para a minha profissão? 

A quantidade de preocupações pode facilmente levar ao esgotamento psicológico se o estudante não souber administrar todas as áreas da sua vida com inteligência emocional.

Na tentativa de fugir do estresse e do cansaço mental, alguns universitários podem recorrer a métodos pouco saudáveis para se sentirem melhor, como bebidas, festas, alimentos pouco saudáveis e sexo. Descontar a insatisfação em elementos externos não é bom, embora pareça ser satisfatório no momento.

Como a origem do mal-estar emocional persiste, a tendência é a pessoa voltar a ficar indisposta e buscar cada vez mais estímulos para sentir prazer imediato.

Assim, os estudantes universitários devem aprender a cuidar de si mesmos. Aprender a gerir o estresse, a ansiedade e as preocupações enquanto estudantes é vantajoso para as suas vidas futuras como profissionais. Quando se depararem com experiências desconhecidas ou negativas no futuro, terão maior controle emocional para tomar decisões benéficas.

Sinais da falta de autocuidado

Newsletter

Assine nossa Newsletter semanal e seja informado dos artigos e vídeos novos

O estresse naturalmente vem acompanhado de outras emoções, como irritação e tristeza. Ele também afeta o funcionamento regular do organismo. A pessoa estressada começa a ter dificuldades para dormir, tem aumento ou perda de apetite, sente dores musculares e aparenta estar sempre indisposta.

Neste contexto, não é preciso muito para causar a estafa mental ou o burnout. O estudante universitário também pode desenvolver depressão ou ansiedade devido à sobrecarga de estresse.

Alguns sinais que indicam que é preciso voltar o olhar para si mesmo e praticar mais autocuidado são:

  • Cansaço inexplicável;
  • Dificuldade para dormir;
  • Indisposição;
  • Falta de vontade para fazer as coisas;
  • Pensamentos excessivamente pessimistas;
  • Irritabilidade e falta de paciência;
  • Vontade constante de procrastinar;
  • Problemas digestivos;
  • Tristeza constante;
  • Tendência a se isolar de amigos;
  • Faltar ao trabalho ou estágio;
  • Dificuldade de mudar o foco para coisas além dos estudos;
  • Ansiedade em vários momentos sociais;
  • Caída expressiva nas notas; e
  • Conflitos com pessoas próximas.

Você identificou alguns desses sinais em você? Saiba que existem soluções para este mal-estar generalizado, bem comum entre os estudantes universitários.

Autocuidado para estudantes universitários

Embora a vida universitária seja formada por desafios, superação, doação e sacrifícios, ela não precisa ser exaustiva. É normal ficar mental e fisicamente cansado após uma semana corrida ou uma longa sessão de estudos. Como somos humanos, nos cansamos e precisamos repor energias. 

Psicólogos

Conheça os psicólogos e psicólogas do consultório. Veja o perfil detalhado de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

O problema surge quando esse cansaço começa a fazer parte da sua vida. Dentro e fora do ambiente acadêmico, você está cansado e mal-humorado.

Você só consegue se sentir bem em momentos específicos, como uma saída com amigos, um encontro com o parceiro ou um churrasco com a família. Porém, o cansaço, a preocupação e o estresse retornam assim que você chega em casa.

O autocuidado faz a prevenção desse cenário. Os cuidados com as emoções, os pensamentos e os relacionamentos são essenciais para ter alegria e disposição no cotidiano. E não é uma tarefa difícil nem requer muito do seu tempo!

Até os estudantes universitários mais ocupados, sejam de graduação, mestrado ou doutorado, podem praticar o autocuidado ao longo da sua rotina.

Se você não sabe como fazer isso, não tem problema! Siga as nossas dicas abaixo e comece a trazer a sua atenção para as suas necessidades emocionais.

1.    Seja organizado

A organização é essencial para a vida universitária e, posteriormente, para a vida profissional. O estudante universitário precisa aprender a se organizar de modo não neurótico. O excesso de preocupação com o planejamento pode causar sofrimento antecipado sem razão, então é necessário dosar a atenção concedida à organização.

Tenha uma agenda, seja física, online ou no formato de um aplicativo, com datas, lembretes e compromissos. Um calendário na parede também é muito útil por ser um lembrete visual.

Procure fazer os seus trabalhos com tempo de sobra para não acabar alimentando a ansiedade e vivenciar o estresse de deixar algo importante para a última hora. Hoje, uma diversidade de recursos está a disposição para ajudar a enriquecer trabalhos acadêmicos. Aproveite para usá-los e facilitar a produção.

2.    Descanse

Quando precisar descansar, descanse!

Como Escolher meu Psicólogo?

Confira no nosso guia completo sobre psicólogo e psicoterapia. Nele você encontrará dicas do que considerar na escolha do seu psicólogo.

COMO ESCOLHER MEU PSICÓLOGO

Durma até tarde, tire uma soneca durante o dia, vá correr em um parque público, saia com o seu parceiro ou amigos, brinque com seus animais de estimação, vá ao cinema e viaje. Em outras palavras, faça algo prazeroso que lhe ajude a descansar e recarregar as energias.

Hobbies e projetos pessoais são formas interessantes de descansar. Embora você esteja usando o seu cérebro ou corpo para produzir algo, o faz por satisfação e paixão. O sentimento é totalmente diferente de fazer algo por obrigação. Dessa forma, você acaba relaxando e, ainda, encontrando motivação para encarar as próximas semanas. 

Não se sinta mal por precisar descansar por algumas horas ou até dias seguidos, usando o mínimo de suas habilidades para guardar energia. Todos nós precisamos parar e descansar para dar continuidade a nossa rotina e manter o mesmo nível de produtividade.

3.    Não foque somente nas suas obrigações

Pode ser tentador manter a mente focada somente nas suas obrigações. Uma das razões pelas quais os estudantes universitários desenvolvem ansiedade é a incapacidade de se desligar de suas pendências. Assim, deixam de viver o restante de suas vidas por conta delas.

Quem associa a sua autoestima com a qualidade de suas notas e desempenho acadêmico tende a sofrer mais com essa hiper fixação. Esses indivíduos não conseguem desligar a mente até a época de provas e apresentações de trabalhos passar.

A vida precisa de equilíbrio. Muita diversão é tão prejudicial quanto muita disciplina. Nós precisamos de um pouco dos dois para vivermos em harmonia. Sendo assim, organize a sua rotina para ter momentos focados somente nos seus compromissos com a universidade e também no lazer e relaxamento.

4.    Faça terapia

Muitas pessoas estão buscando fazer terapia hoje. O interesse crescente no acompanhamento psicológico não é à toa. Ele traz inúmeros benefícios para a vida das pessoas, ajudando-as a amadurecer e a viver uma vida gratificante.

Para os estudantes universitários, a terapia fornece um momento de tranquilidade voltado somente para eles. Os anseios e as preocupações são esquecidos momentaneamente. Assim, eles podem se concentrar em relaxar, se autoconhecer e cuidar da autoestima.

Do mesmo modo, a terapia pode ajudá-los tanto a aprender a lidar com as diversas vivências inéditas desta fase da vida quanto a se prepararem para experiências futuras no mercado de trabalho.

5.    Peça ajuda de professores e colegas

Aproveite os maiores recursos humanos da universidade: os professores. Peça orientação e recomendação de leituras, tire dúvidas, faça perguntas pertinentes sobre a sua futura ocupação e construa um relacionamento agradável com os docentes que se mostrarem abertos para isso.

Também peça ajuda de colegas para melhorar o seu desempenho acadêmico. Você pode montar um grupo de estudos na época de provas, combinar de ir a eventos acadêmicos juntos e compartilhar sonhos e experiências. Se você não souber fazer algo muito bem, peça para que alguém lhe ensine.

Aproveite o contato com as pessoas inseridas no mesmo ambiente em que você para ter uma experiência enriquecedora na universidade. 

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Psicóloga Thaiana Brotto

CRP 106524/06. CEO do consultório Psicologo Com.Br. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *